Páginas

terça-feira, 30 de abril de 2013

Aleitamento materno: informação faz a diferença.


Quais são as vantagens da amamentação?

Ela aumenta os laços afetivos, diminui o sangramento uterino, proporciona perda de peso para a mãe, além de diminuir o risco de câncer de útero, mama e ovário. É mais prático e barato que fórmulas infantis; protege o bebê de alergias, infecções e outras doenças. O leite materno é o alimento ideal e completo para o bebê até os 6 meses.

Quais são os principais obstáculos ao aleitamento materno?

A falta de informação é o maior obstáculo. Críticas ao aleitamento e palpites equivocados de pessoas desinformadas só pioram as coisas. Nesse momento a mãe precisa conhecer as técnicas de aleitamento e ter apoio dos familiares e dos profissionais de saúde envolvidos. O uso de bicos artificiais e introdução de outros alimentos nos primeiros 6 meses pode levar a um desmame precoce ou a complicações para seu bebê, como alergias.

Quais métodos contraceptivos são compatíveis com a amamentação?

O aleitamento materno exclusivo dia e noite com ausência de menstruação constitui método contraceptivo com falha de 2%. Além disso, podemos associar o uso de preservativos, diafragma, DIU e uso de anticoncepcionais específicos (apenas com progestágenos). O uso de pílulas ou injetáveis combinados, isto é, com estrogênio, está contra indicado.

Até quando amamentar?

A amamentação EXCLUSIVA deve ser mantida até 6 meses: neste período o único alimento deve ser o leite materno, sem a introdução de água, chás ou fórmulas infantis.
Com 6 meses, outros alimentos serão gradualmente introduzidos pelo pediatra, mas o aleitamento deve ser mantido até os 2 anos.

Quais são os cuidados  importantes durante a gestação?

- Exposição dos mamilos ao sol (antes das 10h ou após as 15 h ) ou a uma lâmpada de 40 w (distando um palmo) durante 10 a 15 minutos por dia.
- Boa sustentação das mamas com sutiãs confortáveis.
-Evitar produtos como cremes ou sabonetes nos mamilos.
-O uso de bucha ou exercícios mamilares está contra indicado.
-Se o seu mamilo é plano ou invertido, converse com seu obstetra a respeito: o uso de conchas ou de corretores mamilares específicos resolverá este probleminha facilmente.
- Se INFORME, SEMPRE!




Quais são as dificuldades mais comuns?

Achar que tem pouco leite ou que o leite é fraco, é muito comum: lembre-se que nos primeiros 2 ou 3 dias haverá apenas saída de colostro, um líquido espesso e amarelado em pequena quantidade mas que é o suficiente para alimentar seu bebê.
Além disso, intervalos das mamadas são mais curtos no aleitamento exclusivo, de cerca de 2 a 3 h, pois o leite materno é facilmente digerido.Você deve também esvaziar totalmente uma mama para oferecer a outra, pois o leite do final da mamada (leite posterior) é mais rico em gordura e proporciona maior saciedade e ganho de peso para seu bebê.


Como evitar complicações?

 Cerca de 2 a 3 dias após o parto ocorrerá a descida do leite e as mamas podem ficar muito cheias nesse período. O uso de conchas evita esse desconforto drenando o excesso de leite espontaneamente. Além disso, a pega correta do bebê garante mamadas eficientes com esvaziamento adequado, sem fissuras mamilares.

Como é a pega correta?

A boca do bebê deve abocanhar toda a aréola, seu queixo deverá estar encostado na mama e seu lábio inferior virado para fora. As bochechas estarão arredondadas e você poderá ouvir a deglutição do leite.

Como ajudar?

Um bom posicionamento da mãe, que deve estar relaxada, é fundamental para uma boa pega. Além disso, fazer massagens circulares nas mamas antes de oferecê-las ou esvaziá-las um pouco se estiverem muito cheias, facilita a boa pega.

Como tratar fissuras nos mamilos?

Corrigindo a pega do bebê, deixando os mamilos descobertos, passando o próprio leite e pegando sol. Você também pode usar uma pomada a base de lanolina pura disponível nas farmácias, que não precisa ser retirada antes das mamadas. Evite soluções caseiras como o uso de casca de banana, que pode contaminar as lesões, causando infecção.

Qual é a melhor forma de se preparar para a amamentação?

Informe-se SEMPRE. Com informação você evita armadilhas e estará mais segura. Pesquise na internet sobre o assunto em sites e blogs confiáveis ou se preferir faça um curso de gestantes que te prepare para esse momento tão especial.



Bárbara Augusta do Nascimento é médica obstetra, formada pela UFF, da equipe de pré natal de alto risco da Maternidade Fernando Magalhães há 10 anos, com grande experiência em orientação a aleitamento materno.
Oferece curso para gestantes sobre aleitamento e cuidados com bebês. Informações através do blog mamabebenet.blogspot.com.br ou pelo email mamabebevc@gmail.com


quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Dica para um sorriso mais branco


Características Gerais
Descrição do Produto
Fita Branqueadora Oral B 3D Whitestrips 14x1

3D Whitestrips
Tem tecnologia de ponta que ajudará a tornar o clareamento dental mais prático e acessível”, afirma Danielle Panissa, diretora de Marketing de Oral-B

Os dentes são formados por três camadas
Esmalte, dentina e polpa. O esmalte dental pode sofrer com dois tipos de manchas, intrínseca e extrínseca. A primeira – que se localiza abaixo do esmalte e cujas principais causas são o envelhecimento, o uso de alguns medicamentos e resíduos de comida e bebidas – só é removida com tratamentos específicos. A extrínseca situa-se na superfície dentária, está associada aos pigmentos de comida, tabaco, bebidas (como café, chá e vinho tinto) e pode ser removida por cremes dentais específicos

3D Whitestrips
Contém peróxido, a mesma substância utilizada por dentistas para tratamentos de branqueamento, que age sobre as manchas intrínsecas. O produto vem com fitas finas e flexíveis cobertas por um gel desenvolvido exclusivamente para se adaptar ao contorno dos dentes

Peróxido
Vem num filme de polietileno, em contato com os dentes, promove o clareamento1 sem causar dano ao esmalte. O produto deve ser usado duas vezes ao dia durante 30 minutos
Observações
As fitas não branqueiam os diversos tipos de coroas, facetas, obturações ou dentaduras. O produto é indicado para dentes naturais

 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Conheça a escova de dente biodegradável Dr. Veit

A escova Dr. Veit é feita com matéria prima renovável e possui cabo 100% biodegradável.
Seu design anatômico foi pensado por dentistas, sua cabeça alcança até os dentes mais distantes e suas cerdas DuPont Tynex, apesar de não serem biodegradáveis, são extra macias, arredondadas e polidas.

Todas as escovas levam em seu cabo uma gota estilizada, simbolizando a luta pela conscientização e preservação da água do planeta.

Todas essas preocupações com a rápida decomposição do cabo tem uma razão . Se todos seguirem a recomendação em trocar de escovas de 3 em 3 meses, o número de escovas descartadas anualmente é impressionante. No Brasil, todo ano teríamos 768 milhões de escovas no lixo. No planeta todo, 26 bilhões por ano.

Uma escova feita de material normal levar cerca de 400 anos para se decompor, aumentando mais ainda a quantidade de lixo no meio ambiente. Por isso, uma rápida decomposição e uso de matérias primas renováveis fazem toda a diferença.

A escova e a embalagem são realmente biodegradáveis?

O cabo da Dr. Veit Bio é 100% descartável e entra em decomposição depois de um período de aproximadamente 180 dias. Passado esse tempo o cabo se decompõe completamente entre 6 meses a, no máximo, 4 anos. Sua embalagem também é feita em papel que é biodegradável e em uma única cor.

De que material é feita a escova?

A escova é feita de ácido polilático, um material de alta resistência e degradam rapidamente. As cerdas, porém, são feitas de material sintético e não degradam são biodegradáveis.

Como devo descartar minha Dr. Veit Bio?

Procure áreas de coleta seletiva e descarte sua escova juntamente com os plásticos. Se preferir ou não tiver nenhuma espécie de coleta seletiva por perto, envie sua Dr. Veit Bio para o centro de descarte Dr. Veit.

O que acontece se eu descartá-la em um aterro?

Aterros sanitários são feitos para evitar a degradação. Portanto a escova e sua embalagem não irão se decompor se descartadas em um aterro.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Misturar leite no chá destrói seus antioxidantes?

Depois da água, o chá é a bebida mais consumida no mundo. Repleto de antioxidantes, vitaminas e outros compostos, o chá tem sido associado em uma variedade de estudos a uma função imune mais potente e a danos celulares reduzidos. Algumas pesquisas sugerem que o chá pode prevenir cáries, melhorar os níveis de açúcar no sangue e, talvez, proporcionar benefícios cardiovasculares.

Em muitas partes do mundo, o hábito é servir chá com leite. Mas ultimamente os pesquisadores ficaram surpresos ao descobrir que a adição de leite pode anular alguns dos efeitos benéficos do chá.

Em um estudo publicado no periódico European Heart Journal, os pesquisadores analisaram 16 adultos saudáveis que beberam copos recém-preparados de chá preto, chá preto misturado com uma pequena quantidade de leite desnatado, ou água fervida. Em seguida, os cientistas avaliaram os efeitos sobre a função vascular.

Comparado com a água, o chá preto "melhorou significativamente" a função arterial, segundo os pesquisadores, "enquanto a adição de leite anulou completamente os efeitos do chá."

Fonte

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Saiba mais sobre a Colonoscopia

O que é

 

A colonoscopia é um exame endoscópico, que permite a visualização do interior de todo o intestino grosso e da parte final do intestino delgado (íleo).

Para que serve

 

A colonoscopia detecta e ajuda no acompanhamento de diversas doenças do intestino como câncer de cólon, doença inflamatória intestinal, sangramento digestivo baixo (o intestino grosso) e diverticulite, entre outras.
Em muitos casos, serve também um método terapêutico, possibilitando ao médico retirar pólipos que crescem nas paredes do intestino e controlar sangramentos na mucosa intestinal.

Como é feito

 

Com o paciente sedado (já dormindo) o médico introduz o aparelho – um tubo flexível com cerca de um pouco mais de um metro de comprimento e um centímetro de diâmetro – no orifício anal. Na extremidade final dele, uma mini câmera transmite as imagens do interior do intestino para um monitor colorido. As imagens são fotografadas ou gravadas em DVD. Caso encontre algum pólipo ou sangramento na mucosa do intestino, o médico pode usar o aparelho para retirar o pólipo ou para conter o sangramento.

Preparo

 

Durante o procedimento o intestino grosso precisa estar completamente limpo, ou seja, sem a presença de fezes ou restos de alimentos. Na véspera do exame, o paciente deverá alimentar-se apenas com dieta líquida e fazer uso de laxantes.
Esse preparo inicial será complementado no local do exame, com quatro a cinco copos de um medicamento chamado Manitol diluído em suco de laranja. De duas a três horas após a ingestão do Manitol, ele vai sendo eliminado pelo intestino, deixando limpo e em condições de iniciar o exame.
Os medicamentos usados no exame diminuem os reflexos de atenção por algumas horas. Desta maneira, é recomendável sair acompanhado do local do exame e não se deve dirigir veículos ou operar máquinas.

Valores de referência

 

No final do exame o médico relata no laudo o que visualizou ao longo do exame e que procedimento diagnóstico (biópsia) ou terapêutico (retirada de um pólipo, coagulação de um sangramento) foi feito. Se foi retirada alguma amostra (tecido ou pólipo) para análise, o paciente deverá aguardar o resultado desta análise, que é feita por um patologista.

fonte

Normalmente Manitol é o produto indicado que o paciente deve tomar antes de fazer este exame. Consulte o seu médico e caso ele te indique,

você encontra aqui



 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Brasil vai testar método para impedir mosquito de transmitir a dengue

Técnica criada na Austrália injeta bactéria no 'Aedes aegypti'.
Inseto então deixa de passar a doença às pessoas, informa Fiocruz.



A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou nesta segunda-feira (24) que vai testar no Rio de Janeiro um novo método de controle da dengue, inédito no país.
O projeto "Eliminar a Dengue: Desafio Brasil" vai usar bactérias do gênero Wolbachia, que impedem que o mosquito Aedes aegypti transmita o vírus da doença.

A técnica foi desenvolvida na Austrália. Por meio de microinjeções, os ovos dos mosquitos transmissores da dengue são contaminados com a bactéria. Ela compete por nutrientes com o vírus, e leva a melhor, impedindo que a dengue se desenvolva no mosquito e, consequentemente, que ela seja transmitida ao ser humano.
A bactéria é típica dos invertebrados e encontrada em 70% dos insetos do mundo, como borboletas e pernilongos. O Aedes aegypti não está nesse grupo.

As fêmeas infectadas com a Wolbachia sempre geram filhotes com a bactéria na reprodução. No cruzamento, não importa se o macho possui ou não o micro-organismo. Caso um macho contaminado cruze com uma fêmea sem Wolbachia, os óvulos fertilizados morrem.

A ideia é, em um prazo ainda indefinido, soltar fêmeas com a bactéria para que elas se reproduzam com machos que tenham o vírus da dengue e, progressivamente, ir contaminando ao máximo a população do inseto. Dessa maneira, haveria cada vez menos mosquitos capazes de transmitir a doença.

Segundo o responsável pelo projeto, o pesquisador da Fiocruz Luciano Moreira, o método é seguro para os seres humanos.

"A técnica é bastante segura porque essa bactéria nunca foi encontrada em vertebrados. Pernilongos têm Wolbachia e nós já somos picados por eles. A bactéria é intracelular, vive dentro da célula, e é muito grande para sair junto com a saliva do mosquito. Quando o mosquito morre, ela morre também", afirmou o pesquisador.

Como informou a Fiocruz, em testes de laboratório foi possível infectar populações inteiras de mosquitos em dois meses. Na Austrália, já foram soltos insetos com bactérias Wolbachia na natureza, após consulta à população.

De acordo com a Fiocruz, no Brasil também só se chegará ao passo de soltar o Aedes aegypti com Wolbachia depois de fazer uma consulta popular. Se tudo ocorrer como o previsto e a iniciativa for aprovada, informa a fundação, isso poderia acontecer em 2014, para que em 2015 se avaliem os resultados da estratégia.

O programa já exportou a técnica para outros países que sofrem com a dengue, como Vietnã, Indonésia e China.

Surpresa dos pesquisadores

Inicialmente, a ideia de infectar os mosquitos com a bactéria era reduzir o tempo de vida do mosquito da dengue, que é, em média, de 30 dias. A cepa de Wolbachia encontrada na "mosca-da-fruta" (Drosophila melanogaster) reduziria a sobrevida do Aedes aegypti.

Assim, o inseto teria menos tempo para passar a doença ao homem. No entanto, os estudos apontaram que a bactéria também impediria o mosquito de transmitir a doença, o que permitiu o desenvolvimento desse método australiano.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/09/brasil-vai-testar-metodo-para-impedir-mosquito-de-transmitir-dengue.html

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Qual a diferença entre Aspirina, Novalgina e Tylenol?

Apesar de eles serem os campeões de vendas (3 em cada 10 itens comprados nas farmácias) e furtos (9 entre os 20 remédios mais roubados), pouca gente sabe diferenciar os efeitos dos principais analgésicos.

Não, não é tudo a mesma coisa. Apesar de servirem ao propósito geral de diminuir dores, eles podem ter efeitos colaterais perigosos dependendo do paciente, como você vê nas fichas abaixo.

É importante aprender essas diferenças agora que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mandou-os para trás do balcão da farmácia. A ideia é fazer com que os clientes sejam orientados pelo farmacêutico, evitando a automedicação.

Conhecendo-os ou não, o negócio é usá-los só quando necessário, para que a medicação não se transforme em uma dor de cabeça.


O melhor remédio
Conheça as características e riscos dos principais tipos de analgésico

ÁCIDO ACETIL-SALICÍLICO

Marcas conhecidas:
Aspirina, AAS.
Indicação:
Eficiente contra febre e dores da cabeça ao dedão do pé, também previne problemas cardiovasculares.
Contraindicação:
Por inibir a formação de coágulos, piora dengues. Também é contraindicado para quem tem gastrites ou sofre de asma e rinite (ele favorece reações alérgicas).


DIPIRONA SÓDICA

Marcas conhecidas: Anador, Dorflex, Lisador, Neosaldina e Novalgina.
Indicação:
Em gotas ou comprimido, é ideal para febres, médio para dores e fraco para inflamações.
Contraindicação:
Muitas pessoas são alérgicas, e a sensação de fraqueza é comum. Em excesso, prejudica o poder de cicatrização do organismo. A substância deve ser evitada pelos diabéticos, pois contém açúcar.


PARACETAMOL

Marcas conhecidas:
Sonridor, Tylenol.
Indicação: Efeito analgésico semelhante ao da aspirina. Mas é o único que não tem ação anti-inflamatória.
Contraindicação:
Não pode ser usado em caso de dengue, pois a doença faz com que o fígado pare de fabricar uma enzima que metaboliza o paracetamol e a substância fica acumulada no organismo, o que pode levar o paciente à morte. Em excesso, ele pode causar danos no fígado, então deve ser evitado por quem já agride o órgão regularmente, como doentes de hepatite e quem bebe em excesso. Ou seja, tomar um Tylenol para aliviar ressaca é uma péssima ideia.

Fontes Prof. Luis Antônio Baffile Leoni, farmacêutico pela Universidade Estadual de Londrina e diretor da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade São Judas Tadeu, e Patricia Pâmela Fonseca, da pós-graduação em medicina farmacêutica pela Unifesp.

Fonte: http://super.abril.com.br/saude/qual-diferenca-aspirina-novalgina-tylenol-625188.shtml