Páginas

sábado, 19 de dezembro de 2009

China desenvolve remédio à base de ervas contra gripe A

Medicamento, que melhora sistema respiratório do doente, mostrou eficiência de 95% nos testes

PEQUIM - Um grupo de médicos chineses anunciou o desenvolvimento de um remédio à base de ervas medicinais para tratamento da gripe A, informou nesta sexta-feira, 18, a imprensa local. Segundo o presidente do Hospital Chaoyang de Pequim, Wang Chen, o fármaco "pode encurtar o período de febre do doente e melhorar seu sistema respiratório".

Após sete meses de pesquisas e testes foi comprovado que o remédio tem ação efetiva para o tratamento de pacientes com gripe A. A imprensa assegura que o remédio, denominado "Jin Hua Qing Gan Fang", mostrou efeitos positivos em mais de 95% dos pacientes que o testaram.

"Se trata de uma boa notícia para os pacientes na China e na África, onde os custos médicos são um grande problema, já que este remédio é muito barato, e custa um quarto do Tamiflu", assinalou o investigador Yang Jibin.

O Tamiflu, produto desenvolvido pela farmacêutica suíça Roche Holding, é o remédio recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para tratar a gripe A.

"Apesar de que a ciência moderna não conseguir explicar plenamente os mecanismos das ervas medicinais, também não pode ignorar o efeito quase imediato desta fórmula" disse Yang.

Nos últimos sete meses, participaram do desenvolvimento do fármaco mais de 120 especialistas, e Pequim destinou 10 milhões de yuans (US$ 1,47 milhões) às pesquisas.

O país asiático enfrenta nos últimos dias um controle mais forte da gripe A devido à proximidade do Ano Novo Chinês e das férias do Festival da Primavera, quando a maioria dos chineses viaja para visitar seus familiares. Por enquanto, mais de 36,7 milhões de pessoas na China foram vacinadas contra a gripe A, enquanto outras 74,5 milhões de doses de vacinas foram aprovadas para seu uso.

O Ministério da Saúde chinês informou nesta última quinta-feira que 116 pessoas morreram pela gripe A na semana de 7 a 13 dezembro.

Fonte: http://www.estadao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário