Páginas

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Doente do coração precisa estar com check-up em dia antes da Copa

Pessoas com problemas cardíacos precisam maneirar na comida e no álcool


Palpitação, dor no peito, batedeira, aumento da pressão arterial: qualquer pessoa pode sofrer com esse tipo de sintoma durante um jogo de Copa do Mundo, ainda mais se o Brasil estiver em campo. Mas as pessoas com problemas cardíacos precisam redobrar os cuidados, fazer exames e estar com a medicação em dia antes de encarar essas emoções.

Em momentos de forte tensão, o corpo libera uma quantidade maior de adrenalina, um hormônio que aumenta a frequência dos batimentos do coração e estreita os vasos sanguíneos, o que faz crescer a pressão arterial. Isso pode causar complicações para pessoas com problemas do coração.

Um estudo feito durante a última Copa do Mundo, realizada em 2006, na Alemanha, indicou que o número de atendimentos médicos aumentou de modo considerável nos dias em que o time da casa jogava. O número de emergências cardíacas cresceu 2,66 vezes nas datas das partidas da Alemanha. Para os homens o aumento foi maior, chegando a 3,26 vezes. Entre as pessoas com doenças cardíacas, o índice foi quatro vezes maior.

A maior parte dos atendimentos aconteceu nas primeiras duas horas após o início da partida.

No estudo, publicado pela revista científica New England Of Medicine, os pesquisadores dizem que “uma partida de futebol estressante mais que dobra o risco de um incidente cardiovascular agudo”.

– Diante desse risco, principalmente em homens com doenças coronárias, são necessárias medidas preventivas urgentes.

Leandro Santini Echenique, cardiologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), recomenda que pessoas com histórico de problemas cardíacos e pressão alta procurem um médico para saber se o problema está controlado e pede também que eles mantenham a medicação em dia – o tratamento é avaliado caso a caso.

O médico conta que, em 2006, houve um aumento na procura por consultas com cardiologistas, mas não por causa dos jogos em si, e sim pela morte do humorista Bussunda, de ataque cardíaco, um pouco antes do campeonato.

– Todo mundo viu, ficou traumatizado e resolveu procurar um cardiologista. Aconteceu algo parecido após a morte do jogador Serginho, do São Caetano [o atleta morreu de ataque cardiorrespiratório durante uma partida contra o São Paulo, em 2004].

Carlos Alberto Pastore, cardiologista do Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP), diz que, além da medicação, os pacientes também precisam ficar atentos à alimentação, evitando excessos, e também evitar bebidas alcoólicas.

– O cara já tem problema de pressão, fuma e é obeso. Aí come aquele churrasquinho salgado e toma álcool. Acaba tendo um treco mesmo.


Fonte: R7

Um comentário:

  1. Vou visitar meu cardiologista! Valeu a dica...

    ResponderExcluir