Páginas

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Bioquímicos que estudam a dor ganham prêmio internacional na Espanha

Eles descobrirarm mecanismos de percepção de sensações como o frio, calor e gosto


Os bioquímicos americanos David Julius e Linda Watkins e o israelense Baruch Minke, considerados referências mundiais na neurobiologia por sua contribuição à luta contra a dor, ganharam nesta quarta-feira na Espanha o Prêmio Príncipe de Astúrias de Pesquisa Científica e Técnica 2010.

Por meio dessas pesquisas, os premiados descobriram as causas e mecanismos pelos quais é percebida a dor e outras sensações como o frio, calor e gosto.

O júri destacou que seus trabalhos permitem "uma compreensão mais profunda das bases celulares e moleculares das diferentes sensações, especialmente a do dor".

Esses trabalhos abrem vias esperançosas para atenuar um mal que afeta a qualidade de vida de milhões de pessoas "e que foi, desde sempre, um dos grandes desafios enfrentados pela medicina", disse o júri em sua avaliação.

- [Os três são cientistas] realizaram descobertas para uma compreensão mais profunda das bases celulares e moleculares das diferentes sensações, em especial da dor.

Cada um dos especialistas homenageados recebeu R$ 112.550 (50 mil euros) e a reprodução de uma estatueta desenhada por Joan Miró. O prêmio Príncipe de Astúrias leva o nome do príncipe Felipe, herdeiro da coroa da Espanha, que a cada ano elege oito pessoas ou instituições em oito categorias: artes, cooperação internacional, concórdia (conciliação), ciências sociais, comunicação e humanidades, esportes, pesquisa científica e técnica e letras.


Fonte: R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário