Páginas

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Combinação de remédio com quimioterapia detém avanço do câncer de ovário

Uso de Avastin e de substâncias químicas breca avanço de doença, diz estudo


O Avastin, remédio recomendado para impedir que o tumor canceroso desenvolva vasos sanguíneos que o alimentem, combinado com quimioterapia, prolonga o período durante o qual um câncer de ovário avançado para de progredir, revelou estudo clínico publicado neste domingo (6).
Robert Burger, do Fox Chase Cancer Center, na Filadélfia, nos Estados Unidos, que chefiou a pesquisa, diz que o teste foi esperanças à equipe.

- Este é o primeiro teste clínico de fase três, que mostra que bloquear a formação de vasos sanguíneos dos tumores melhora muito a sobrevivência sem o desenvolvimento da doença das mulheres com câncer de ovário ou peritoneal, que é muito difícil de tratar.

Segundo Burger, "os resultados do teste clínico mostram que o Avastin é um medicamento inicial aceitável para as pacientes que sofrem de câncer avançado de ovário".

O cientista apresentou os resultados na conferência anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, neste fim de semana em Chicago. nos Estados Unidos.

O Avastin, comercializado pela empresa americana Genentech, que faz parte do grupo farmacêutico suíço Roche, já foi autorizado pela FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos) dos Estados Unidos para o tratamento de vários cânceres metastásicos, entre eles os de colon, seio, rim, cérebro e pulmão.


Fonte: R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário