Páginas

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Médicos alertam para perigo de dar remédios para crianças usando colheres comuns

Diferença no tamanho dos talheres faz com que cálculo da dose seja arriscado


Cuidado na hora de dar xarope para o seu filho usando uma colher comum. Um estudo feito na Grécia alerta que pais que usam esses utensílios domésticos, e não os acessórios que estão inclusos nos pacotes de vários remédios, podem fazer com que as crianças recebam doses menores do que a recomendada ou até provocar uma overdose do medicamento porque a colher é grande demais.
No estudo, publicado na revista científica International Journal of Clinical Practice, os pesquisadores analisaram 71 colheres de chá e 49 de sopa coletadas em 25 casas de Attica, na Grécia. Eles descobriram que os talheres menores tinham capacidade entre 2,5 ml e 7,3 ml, com o volume médio sendo 4,4 ml. No caso das colheres de sopa, a variação é de 6,7 ml a 13,4 ml, com média de 10,4 ml.

Matthew E. Falagas, diretor do Instituto Alfa de Ciências Biológicas, em Atenas, diz que as variações entre os modelos disponíveis era considerável e em alguns casos não tinham qualquer relação com a colher calibrada que vem na caixa do remédio.

– Um pai que usa a maior colher de chá pode dar ao seu filho até 192% mais remédio do que o que usa o menor talher desse tipo. Entre as colheres de sopa, a diferença é de 100%. Isso aumenta o risco de a criança receber uma overdose do medicamento ou uma quantidade muito pequena.

Na maioria dos lares havia três tipos diferentes de colheres – em algumas casas esse número chega a seis. Isso indica que as crianças podem receber uma dose diferente do produto a cada vez que o tomam. Os pesquisadores também pediram que as mães colocassem 5 ml de remédio em uma colher calibrada, específica para a dosagem: nenhuma delas conseguiu colocar a quantidade correta.

Falagas diz que dar remédios para as crianças é diferente e mais delicado do que administrar o medicamento em adultos.

– As doses pediátricas precisam ser ajustadas à idade e ao peso da criança, então os pequenos são consideravelmente mais vulneráveis a esses erros do que os adultos. Uma dica para resolver isso é usar seringas, disponíveis em qualquer farmácia, para medir a dose. Isso dá mais confiança aos pais de que eles estão acertando.


Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário