Páginas

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Cólera

Com a epidemia de Cólera no Haiti, é importante sabermos mais sobre doença, que já teve sua epidemia no Rio de Janeiro de 1992 a 1994, com mais de 250 casos da doença.


Cólera, o que é?


Uma doença diarréica aguda que pode determinar a perda de vários litros de água e sais minerais em poucas horas, trazendo como conseqüência uma grave desidratação, podendo levar à morte caso as perdas não sejam prontamente restabelecidas.


O que causa?

Uma bactéria denominada Vibrio cholerae que sobrevive bem no ambiente marinho com temperaturas entre 10º e 32º C, em áreas costeiras. Tende a contaminar ostras e mexilhões e é de difícil sobrevivência em alto mar. Seu tempo de sobrevivência é de 10 a 13 dias em temperatura ambiente e de 60 dias em água do mar. Na água doce permanece 19 dias e em forma de gelo de quatro a cinco semanas.


Como se transmite?

A transmissão se dá pela ingestão de água ou gelo contaminados com fezes ou vômitos de doentes, assim como pelas fezes das pessoas portadoras do vibrião, mas que não apresentam sintomas (assintomáticos). Dá-se também pela ingestão de alimentos que entrem em contato com água contaminada, por mãos contaminadas de doentes ou portadores e de quem manipula os produtos alimentares. As moscas podem ser vetores importantes da doença. Os peixes, frutos do mar e animais de água doce, crus ou mal cozidos são responsáveis por surtos isolados em vários países. A transmissão pessoa a pessoa também é importante, em especial nas áreas onde há escassez de água.


O que é período de incubação?

É o tempo transcorrido entre a contaminação e o aparecimento dos sintomas, que varia de algumas horas a cinco dias. Enquanto houver eliminação do vibrião nas fezes pode haver transmissão da doença e este período é, normalmente, de 20 dias. Lembramos que os indivíduos assintomáticos também liberam vibrião nas suas fezes sendo potencialmente transmissores da Cólera.


Quais os sintomas?

A diarréia e vômitos são as manifestações mais freqüentes. Nos casos graves, o início é súbito com diarréia aquosa, com inúmeras evacuações diárias. As fezes têm aparência amarelo-esverdeada, sem pus, muco ou sangue. Às vezes pode ter odor de peixe e aspecto típico de água de arroz. Nos casos graves a diarréia e os vômitos acarretam uma rápida desidratação, com manifestações de sede, perda de peso intensa, prostração, olhos fundos com olhar parado e vago, voz sumidiça e cãibras.


Como se trata?

As formas leves e moderadas da doença devem ser tratadas com terapia de reidratação oral e a abordagem segue igual a das diarréias agudas em geral. Nas formas graves deve ser instituída a hidratação venosa e a antibioticoterapia.


Como se previne?

- Garantindo boa qualidade de água para consumo humano.
- Incentivo ao aleitamento materno.
- Manter higiene pessoal.
- Cozinhar bem os alimentos e consumi-los imediatamente.
- Armazenar cuidadosamente os alimentos cozidos.
- Reaquecer bem os alimentos cozidos.
- Evitar o contato entre alimentos crus e cozidos.
- Lavar as mãos constantemente.
- Manter limpas todas as superfícies da cozinha.
- Manter os alimentos fora do alcance de insetos, roedores e outros animais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário