Páginas

terça-feira, 17 de maio de 2011

Bota de Unna





A bota de Unna, criada em 1896 por Paul Unna, utiliza uma ligadura impregnada de óxido de zinco, calamina e gelatina que se coloca no membro afetado até ao joelho.

A bota de Unna é útil como medida de terapia compressiva, aumentando o retorno venoso, funcionando também como elemento protetor da pele íntegra devido aos seus constituintes ativos. Ela aumenta a função de bomba venosa, diminuindo os edemas presentes.

No entanto é essencial que de antemão se garanta a ausência de patologia arterial concomitante, mediante o apuramento do índice tornozelo braço com o doppler.

Não deve ser usada em casos de arteriopatia periférica, insuficiência cardíaca descompensada ( além de devolver à circulação um excedente de líquidos suplementar diminui o terceiro espaço que serve de depósito a fluidos em excesso), trombose venosa periférica e alergia aos componentes ativos.

A sua aplicação deve ser efetuada após o tratamento à úlcera da forma previamente planeada e seguir o seguinte método:



  • Lavagem do membro
  • Secagem cuidadosa do membro
  • Manter o pé em um ângulo de 90 graus em relação à perna, que deve estar elevada e nunca pendente, promovendo um maior conforto na deambulação
  • Efetuar as voltas com a ligadura logo acima dos dedos do pé na região metatársica continuando até ao nível inferior do joelho (abaixo do tubérculo tibial). Deve-se efetuar as voltas com 50-75% de sobreposição em largura em cada círculo. É aconselhável cortar a ligadura em cada volta após sobreposição de metade do perímetro ou efetuar pregas de forma a que a compressão devolvida pela bota após secar não seja demasiadamente constritiva, assim como facilitar a eliminação de rugas que diminuem a rigidez e por conseguinte a eficácia da bota. No entanto alguns profissionais desenvolvem as voltas de uma forma sucessiva, sem efetuar alívios periódicos. Não se deve imprimir uma compressão demasiadamente elevada, pois aos secar esta vai aumentar significativamente devido á sua rigidez, provocando desconforto e diminuindo a adesão à terapêutica.
  • Deve ser aplicada uma ligadura elástica sobre a Bota, e usados apósitos absorventes sobre a bota nas zonas de úlceras para coletar o exsudado.
  • A Bota de Unna é trocada semanalmente, ou mais amiúde no caso de exsudado abundante ou diminuição acentuada do edema que retira a eficiência de compressão à ligadura.



O paciente com Bota de Unna deve ser instruído a manter a perna seca e a usar um calçado confortável e largo. Deve ser também instruído a evitar ambientes muito quentes devido à sensação de picada que a Bota provoca com o calor.


Fonte: http://forumenfermagem.org/feridas/tag/bota-de-unna/target=

Nenhum comentário:

Postar um comentário