Páginas

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Britânica morreu por overdose de remédios para gripe


Uma mulher britânica de 25 anos morreu após tomar um excesso de remédios na tentativa de curar uma gripe, segundo concluiu um inquérito divulgado nesta quarta-feira (28).

Segundo o jornal Worcester News, amigos de Donna Bishop testemunharam que ela ficou doente duas semanas antes do Natal do ano passado e que passou a tomar xaropes, analgésicos e chás contra resfriados contendo paracetamol, remédios que são vendidos sem prescrição médica.

Durante o inquérito, também foi dito que ela vomitou diversas vezes, o que a levou a tomar mais remédios por acreditar que a dose anterior não faria efeito.

No ano novo, Bishop, que tinha um filho, decidiu ir ao médico. Ela foi diagnosticada com bronquite e passou a tomar antibióticos, mas continuou a tomar os remédios contendo paracetamol, além de ibuprofeno.

Esquecimento e alucinações

Amigos e parentes disseram, segundo a imprensa local, que Bishop passou a apresentar uma série de sintomas, como machucados na boca, icterícia e urina vermelha.

Além disso, ela teria começado a perder o equilíbrio e a memória e a ter alucinações.

Bishop teria ido à emergência do hospital duas vezes, mas teria ido embora por causa da demora e não teria feito todos os exames requisitados.

No dia 4 de janeiro, ela foi internada e acabou morrendo.

O inquérito no tribunal de Stourport-on-Severn concluiu que Bishop morreu de falência hepática causada por uma overdose não-intencional de paracetamol.



Fonte: G1

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A melhor hora para tomar remédio

Medicamento para asma deve ser ingerido à noite; para osteoporose e hipotireoidismo, de manhã. Confira outras indicações



Medicamentos ingeridos em determinados horários podem ter seus efeitos potencializados. Ou seja, sabendo a hora de tomá-los, o tratamento pode ser mais eficiente. É o que prega a cronofarmacologia,

ramo da ciência que estuda como doenças e tratamentos são influenciados pelos ritmos biológicos.

"Observamos que algumas doenças apresentam picos de piora dos sintomas, então podemos programar o medicamento para esses momentos. Assim, a ação acontece quando o corpo mais precisa", diz o pneumologista José Manoel Jansen da Silva, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e um dos autores do livro "Medicina da Noite".

Nos Estados Unidos, alguns remédios já começaram a trazer na bula indicações sobre o melhor horário de administração. Por aqui, os estudos sobre o tema avançam, mas por enquanto são apenas sugestões dos médicos e não prescrições. Veja a seguir algumas indicações.

Asma: as piores crises acontecem de madrugada. “Pesquisas apontam que a piora dos sintomas é às quatro da manhã. Como os medicamentos têm o auge de sua ação em quatro ou oito horas após a ingestão, o melhor horário seria por volta de 20 horas ou mais tarde um pouco, próximo à hora de dormir”, diz Silva.

Doenças cardiovasculares: é pela manhã que acontece o maior número de infartos e avc. “O indivíduo estava em repouso, com a pressão arterial baixa. Quando ele acorda, aumenta a secreção de dois hormônios: o cortisol ("hormônio do estresse") e a adrenalina, o que provoca efeitos negativos sobre coração”, explica o médico. A hora ideal do medicamento, portanto, seria de manhã bem cedo ou antes de dormir.

Diabetes do tipo 2: o melhor é tomar o remédio antes de dormir, para fazer a cobertura da noite, quando ocorre a piora de sintomas.

Gastrite: como toda inflamação, os maiores incômodos aparecem à noite. Tome o remédio antes de dormir e garanta conforto durante o sono e ao despertar.

Faça o teste: Você é hipocondríaco?

Artrite: os doentes se queixam de dores ao acordar, logo pela manhã. O horário ideal do medicamento seria à noite, antes de dormir.

Hipotireoidismo: o medicamento deve ser tomado de manhã, em jejum, para maior absorção pelo organismo.

Osteoporose: também deve ser ingerido pela manhã, antes do café. “Se não for em jejum, acaba se misturando com a alimentação e se perdendo com as fezes”, diz o neurocirurgião Manoel Jacobsen Teixeira.

Vitamina e anticoncepcional: podem ser ingeridos a qualquer hora. “Mas, até para criar uma rotina e evitar o esquecimento, especialmente o anticoncepcional que requer continuidade, melhor que sejam tomados sempre no mesmo horário”, diz o pneumologista da UERJ.

Antibiótico: o remédio precisa dar cobertura o tempo todo e é importante seguir as doses prescritas, com o espaçamento recomendado. Esqueceu de tomar? “Não espere pelo horário da próxima dose. Tome assim que lembrar e depois siga normalmente o esquema de administração”, finaliza Silva.


Fonte: IG Saúde